quinta-feira, 7 de março de 2013

O ESSENCIAL É INVISÍVEL AOS OLHOS

Assim como a beleza exterior é indiscutivelmente apreciada, valorizada e necessária dentro de uma sociedade globalizada e informatizada que supervaloriza aquilo que é externo, imediato e descartável, a beleza interior também tem a sua importância. Afinal, não podemos nos deter a apenas uma extremidade da questão. E como beleza é algo relativo do ponto de vista prático, cada um deve expressar a sua opinião. O que é bonito para mim, pode ser feio para outro e vice-versa. E da mesma forma que uma pessoa linda por fora pode ser abominável exteriormente, uma pessoa feia por fora pode possuir um interior esplendoroso. Mas podemos ter uma pessoa feia por fora e por dentro e outra linda por fora e por dentro.
            Nas palavras do escritor Antoine de Saint-Exupéry, autor de “O pequeno príncipe”: “Só se vê bem com o coração; o essencial é invisível aos olhos”. Por mais que a beleza externa possua tanto status com se tem visto, existe sempre aquele detalhe que faz toda a diferença (www.fotolog.terra.com.br/mizaelpoeta), aquele algo mais que sempre esperamos encontrar. Portanto, para sermos justos, vamos examinar 10 razões para acreditar que a beleza (exterior) é essencial, mas não é tudo.

1) Em primeiro lugar, o culto ao belo é injusto. Em todas as camadas sociais existem pessoas feias e bonitas, mas somente nas camadas mais ricas existe a real possibilidade de uma reparação para a feiúra (operações plásticas, botox, silicone, lipoaspiração, etc.). Pobre não pode pagar pela escolha do DNA perfeito para seu futuro filho.

2) Por mais que as pessoas lindas obtenham mais sucesso que as feias na busca por um emprego, beleza não forma um bom profissional. O que vai decidir é a capacidade intelectual e emocional do candidato, sua formação, sua capacitação para a carreira proposta. Nenhum empresário sério contrataria alguém somente pela sua aparência física, colocando em risco o sucesso dos seus negócios.

3) Beleza não é sinônimo de qualidade de vida. A busca por um corpo mais magro e por dentes brancos e saudáveis parte de uma necessidade geral de saúde. O contrário disso é a anorexia: meninas e mulheres definham em busca da beleza ideal (a das modelos famosas). Pode-se ser feio com uma vida saudável e belo à beira de um ataque do coração, e vice-versa. Da mesma forma, uma casa humilde, feia, pode ser um ambiente limpo e saudável, ao passo que uma mansão pode ser infecta.

4) Beleza não transforma o caráter de uma pessoa. Não a faz um ser humano melhor ou pior. Ser belo não é premissa para uma vida espiritual, emocional, intelectual e social saudáveis. Os belos também mentem. Os feios também matam. E ambos podem amar ao próximo como a si mesmos.

5) Beleza é um vício, um ciclo vicioso. Ela não é o cerne da nossa auto-estima. Existe muito mais em jogo, muito mais realizações e conquistas que independem da beleza exterior. O amor, por exemplo, dos pais, dos amigos; a admiração do nosso trabalho artístico, etc.

6) A beleza pode conquistar a admiração de todos, mas nem sempre conquista uma amizade verdadeira ou um amor sincero, desinteressado. No convívio com o conteúdo da embalagem, muitos sonhos de princesa ou príncipe se desmancham. Uma mera atração física não é base sólida o bastante para sustentar um relacionamento.

7) Apesar do que se tem visto nas eleições brasileiras, onde o candidato ou a candidata de maior beleza tem mais votos, beleza não forma um bom político, não isenta ele de ser corrupto. Fernando Collor é um exemplo clássico do que um homem considerado bonito pode fazer de posse de um cargo público. Mas atenção: os feios podem fazer igual ou pior!

8) Beleza, quando natural, é isenta de esforço pessoal. A pessoa nada fez para ser daquela forma; apenas contou com uma sorte genética. Não há porque se gabar. Não existe vitória pessoal alguma em ser belo, a não ser que tenha custado muito dinheiro ficar tão lindo.

9) Assim como beleza não forma um bom profissional e um bom político, ela também não forma um bom ator, uma boa atriz. É triste ver que a mídia tem contratado seus profissionais para atuar em programas, filmes, novelas, etc., baseados somente em sua aparência física: novos e bonitos; lindas e maravilhosas. Mas os melhores artistas, que se fizeram durante anos de estudo e prática, não são dos mais bonitos.

10) Em fim, se beleza fosse tudo, gente linda não sofria de depressão, não tinha problemas emocionais, espirituais, sociais... Não se suicidava.

            Novamente, cada um que julgue conforme suas crenças e seus valores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, jamais comente anonimamente. Escrevi publicamente e sem medo. Faça o mesmo ao comentar. Grato.